sábado, 29 de novembro de 2008

Quisera.

Queria amar-te como quem faz arte.
Queria tocar-te como quem compõe a mágica,
querer-te como quem pressente a música,
que é a outra metade da tua parte.

Queria moldar-te como se pudesse recriar-te,
como se pudesse esculpir-te
com a argila do meu próprio desejo,
como se a própria vida fosse desejar-te.

Queria ter-te, não como quem acumula ou soma,
mas como quem divide e reparte,
porque quero dar-te à liberdade
e não ver-te à míngua, numa redoma.

Queria eu desenhar-te e dar-te asas
para pousar-te entre as estrelas,
para vê-las, em constelações, aos teus pés,
como o revés da luz que tú és.

Pudesse eu merecer-te, tecer-te, despir-te,
como quem despe a seda rara
e revela a pele nua
como quem, por horas a fio, afaga a noite clara.

Por que assim querer-te o encanto?
Por que pra enxergar preciso ver-te?
Por que sem ter-te acabo em pranto?

Quisera eu somente amar-te,
e não, como da arte,
precisar-te tanto!

4 comentários:

Ale Bispo disse...

Quisera ter o poder de num simples minuto entender o ser humano.

E após revelado esse mistério.

Queria eu desenhar-me e dar-me asas
para pousar entre as estrelas,

Para ver as constelações, aos meus pés.

Ale Bispo disse...

Desculpe a pretenção de usar parte de tua frase a unir-se a minha.

As vezes viajo profundo, mas viajo mesmo!!! rsrsr.

Kisses Brasilian

Alessandra Bispo

Palavra lida disse...

Meu querido amigo... Este texto... que música viraria....
Você consegue sempre tirar da minha alma todo tipo de sensação e emoção.
Obrigada por estar na minha vida e me permitir caminhar por emoções tão fortes.
Um beijo e saudade, Rê

LiviaSammara disse...

Vc sabe bem como tocar o coração das pessoas...

Beijoss